A Polícia Federal fez buscas e apreensões contra ameaças e notícias falsas

A Polícia Federal fez buscas e apreensões em cinco estados e no Distrito Federal no inquérito que investiga ameaças e notícias falsas sobre os Ministros do STF, entre os alvos estão aliados do Presidente Jair Bolsonaro. Foram cumpridos 29 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal em São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Paraná e Santa Catarina, 17 pessoas são investigadas entre elas os Blogueiro Alan dos Santos e Sara Winter, os empresários Luciano Hang e Reinaldo Bianchi, o ex-deputado Federal Roberto Jefferson do PTB, além de seis Deputados Federais e dois estaduais que não foram alvos das buscas, mas terão de prestar depoimento no inquérito em até 10 dias. Entre eles estão Bia Kicis, Carla Zambelli e Daniel Silveira do PSL.

 A operação foi autorizada pelo Ministro Alexandre de Moraes relator do caso no STF. Na decisão Moraes afirma que as provas colhidas e os laudos periciais apresentados nestes autos, apontam para real possibilidade de existência de uma associação criminosa denominada nos depoimentos dos parlamentares como, Gabinete do ódio, dedicada a disseminação de Notícias falsas, ataques ofensivos a diversas pessoas, as autoridades e as instituições dentre elas o Supremo Tribunal Federa, com flagrante conteúdo de ódio subversão da ordem e incentivo a quebra da normalidade institucional e democrática.

O Ministro Alexandre de Moraes determinou a apreensão de computadores Tablets e celulares além da quebra de sigilos bancários e fiscais entre Julho de 2018 e Abril de 2020, que os empresários teriam financiado a estrutura do grupo. Moraes também enviou ofício para que as empresas de redes sociais bloqueio e preserve o conteúdo das postagens de parlamentares citados na operação. Ao participar de um seminário Moraes descreveu uma tentativa de Milícias digitais de coagir a imprensa.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

quinze + 10 =