A Universidade de Pelotas pesquisa a evolução do coronavírus no Rio Grande do Sul

A Universidade de Pelotas começou uma pesquisa sobre a propagação do novo coronavírus no Brasil. As projeções indicam que o Rio Grande do Sul tem quatro vezes mais casos do que os números oficiais.

Testes rápidos foram aplicados em mais de 4.189 Gaúchos. O Rio Grande do Sul, foi dividido em oito regiões, cada uma foi subdividida em 25 setores onde foram sorteadas 10 residências. Nelas um morador foi escolhido para fazer o teste, do total de testes aplicados, dois foram positivos. Pelas projeções da pesquisa, indica que 0,05% da população Gaúcha está ou já foi infectada pelo novo coronavírus.

A pesquisa está sendo realizada na Universidade Federal de Pelotas, a pedido do Ministério da Saúde. O reitor Pedro Hallal disse que os resultados demonstram que o número real de casos hoje no estado é maior do que o confirmar por exames. Para cada um existem quatro casos não notificados. “Existem hoje no Rio Grande do Sul, 800 casos confirmados notificados. A nossa pesquisa mostra que isso é apenas a ponta do Iceberg. Por que existem no total de 5.500 casos no estado que não aparecem nas estatísticas oficiais, que não tiveram sintomas graves, não foram fazer os testes, mas foram contaminadas pelo coronavírus”.

Com base no resultado da pesquisa, o Governador Eduardo Leite do PSDB, decidiu manter o comércio fechado na região metropolitana de Porto Alegre e em Caxias do Sul na Serra Gaúcha. Esses 47 municípios concentram 70% dos casos confirmados de coronavírus no Rio Grande do Sul.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

15 + 19 =