A Xiaomi é acusada de vazamentos de dados dos usuários

A Xiaomi tomou algumas medidas de segurança após ser acusada de coletar dados de navegação sem o consentimento dos usuários. A matéria original publicada pela Forbes fez a fabricante chinesa a ser alvo de críticas pela extração, aparentemente, exagerada de informações em seu browser nativo, mesmo quando o modo anônimo está ativado.

Em resposta a Xiaomi  inicialmente apenas negou que o ato fosse uma violação de privacidade dos usuários e em seguida, ela publicou um comunicado no blog da empresa para detalhar a situação. Segundo a empresa, ela segue regulamentações de proteção de dados em todos os países que atua e mantem a posição de que a matéria não representa os fatos. Neste mesmo comunicado a Xiaomi também reforça que os dados coletados são todos minimizados e criptografados, nunca relacionados com usuário específico na formulação de estatísticas e relatórios.

Além disso, ela garante que a infraestrutura de nuvem é utilizada é bem conhecida na indústria em servidores localizados fora da China. Apesar de manter a resposta de que a pesquisa da Forbes não é precisa e verdadeira, a empresa tomou algumas medidas para reforçar a segurança dos usuários com base nas denúncias realizadas.

Os navegadores Mint-browser e My-browser que são parte da acusação, receberam atualizações no Android com uma nova configuração, a possibilidade do usuário escolher ligar ou desligar o compartilhamento de dados no modo incógnito do aplicativo. A novidade foi enviada no final de semana para aprovação e Distribuição na Google Play Store.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5 × 1 =