Como o coronavírus e o petróleo afeta nossa economia

O coronavírus tem gerado grande volatilidade nas bolsas de valores de todo mundo do. O Brasil acumula queda sucessivas há pelo menos uma semana, o IBOVESPA principal referência da bolsa brasileira, fechou na sexta-feira abaixo abaixo da barreira ecológica dos cem mil pontos. Essa segunda-feira foi ainda pior, o índice recuou 12% e fechou em 86 mil pontos. O coronavírus explica uma parte dessa queda, mais um dia de caos no Mercado Global, deve muito o preço do petróleo despencou e foi negociado perto dos $30 o Barril.

Na primeira meia hora do pregão desta segunda-feira, o índice IBovespa recuou mais de 10% e acionou interrupção do pregão por 30 minutos, para tentar conter a volatilidade bruscas do mercado. A última vez que isso aconteceu foi em 2017, no dia 18 de Maio, quando veio a público um áudio entre o empresário da JBS, Joesley Batista e o então Presidente Michel Temer, os investidores acharam que aquilo poderia ser o começo de mais uma crise institucional no país.

Desta vez o pivô foi a queda de quase 30% no preço do barril de petróleo, do tipo Brent A commodity já havia vindo recuando no país, desde o início do surto de coronavírus e da expectativa de uma menor demanda Global. A queda vem desde a briga entre Rússia e Arábia Saudita, que derrubou o preço. O que aconteceu foi o seguinte, Arábia Saudita é membro da OPEO, organização dos países exportadores de petróleo e os maiores produtores de commodities e justamente por isso consegue certa forma de influencia seu preço.

Os membros da OPEO, não raro combinam em segurar uma parte da produção para diminuir a oferta de petróleo e empurrar o preço para cima. A Rússia Não é membro da OPEO, mas vinha trabalhando desde 2016 com a organização. Nesse mês, entretanto, os sauditas ouviram um sonoro não dos Russos, quando pediram para eles cortassem a produção para elevar os preços do petróleo afetado pela efeito coronavírus. Em Retaliação a Arábia Saudita deu início ao que está sendo visto como uma guerra de preso, vendendo o barril de petróleo sem aumento.

A Arábia Saudita é o terceiro maior produtor de petróleo do mundo com quase 10 milhões de Barris por dia. A queda no preço do petróleo é uma má notícia para empresas Petroleiras que vão vender mais barato e receber menor receita. As ações da Petrobras recuou mais de 30%, diante da possibilidade da empresa lucrar menos. As ações das petroleiras Americanas também amargaram queda forte, apesar dos Estados Unidos serem o maior produtor mundial de petróleo, as companhias do país tem hoje no nível alto de endividamento. As margens de lucros menores, podem dificultar por exemplo, que as empresas podem tomar empréstimos que poderia colocar o próprio negócio em risco, como destacou o professor da universidade, Sicoob em uma análise publicada no Washington Post.

Por outro lado o podem ajudar a reduzir os preços de combustíveis, o que beneficia consumidores e reduziria os custos e logísticos de transporte, mas nesse momento não dá para ser taxativo, porque o câmbio é outra variável é importante para formação de preço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

seis + três =