Foi divulgado o Protocolo de uso da Cloroquina pelo Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde divulgou hoje o protocolo para o uso da Cloroquina em pacientes com sintomas leves da covid-19, quem fizeram uso da medicação terá que assinar um termo de consentimento. A divulgação do Protocolo pelo Ministério da Saúde veio somente depois do aval do Planalto, o Presidente Bolsonaro, principal defensor no Governo da adoção do medicamento na fase inicial da COVID-19, justificou a medida em uma rede social. Afirmou que ainda não existe comprovação científica, mas o uso do remédio se justifica porque estamos em guerra.

Segundo ele o uso da Cloroquina que causou divergências entre o presidente e dois Ministros da Saúde e continua polêmico também por causa dos efeitos colaterais dessa medicação. Por isso mesmo o Ministério da Saúde deixa claro que esse Protocolo é uma orientação a Médicos e pacientes e não uma recomendação e indica quando usar, mas principalmente quando não usar a Cloroquina. O Ministério detalha dosagem da Cloroquina que devem ser adotadas e a combinação com outros remédios.

Para pacientes adultos com sintomas leves da COVID-19 é sugerido um tratamento de até 14 dias combinando a Cloroquina com o Antibiótico Azitromicina. O protocolo deixa claro que esse tratamento é contraindicado na gravidez e recomenda cautela especial com crianças que devem usar a Hidroxicloroquina que é menos tóxica. Os pacientes precisam assinar um termo de consentimento, nele consta que não há estudos demonstrando melhora Clínica com o tratamento com Hidroxicloroquina e que efeitos colaterais podem afetar glóbulos brancos, fígado, batimentos cardíacos e até a visão.

Segundo o secretário Nacional de Vigilância em Saúde o protocolo respeitou os limites estabelecidos pelo Conselho Federal de Medicina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezoito − 8 =