O Infectologista Celso Granado, responde tudo sobre o coronavírus

O Infectologista, Celso Granado, professor da Universidade Federal de São Paulo, na disciplina de infectologia, mostra hoje o que é o coronavírus?

Existem uma série de hipóteses que procuram explicar como que esse vírus novo foi parar no ser humano, uma das hipóteses é que tem algum coronavírus em animais que podem ter sido pangolim, morcego ou até mesmo serpentes. Eles acabaram sofrendo mutações do seu material genético e adquiriu a capacidade de infectar seres humanos.

Começou aparecer uma doença Nova e as autoridades de saúde da China, percebeu que era um vírus novo, perceberam que era coronavírus. Então tinha que dar um nome para ele parecido com o primo dele que é o vírus da SARS, ele foi chamada de SARS-COV-2, onde então, esse é o nome do vírus e a doença que causa, foi chamada de doença associada ao coronavírus em 2019, chamado COVID19.

Os vírus assim como a gente, são divididos em família, uma parte dessa família, já era conhecida há muitos anos, eles causavam resfriado e alguns deles causaram diarreia. Mas recentemente do ano de 2003 foi conhecido um outro coronavírus chamados de SARS e depois disso em 2012 outro coronavírus chamar MERS. Esses vírus causam doença muito semelhante, eles são bastante agressivos, não é a mesma doença, mas clinicamente parece muito com influenza.

Incubação

Totalmente diferente por exemplo, do Sarampo, febre-amarela, Ebola. Inclusive são muito mais grátis. Ele gosta muito do trato respiratório, gosta de causar febre secreção tosse. O vírus é considerado grande, se a gente pegar o material genético dos vírus é três vezes maior do que o outro vírus, por exemplo, o vírus do resfriado. Esse material genético dele é formado por RNA, um vírus podem ser do tipo DNA ou RNA. Dentro desse RNA tem a capacidade de produzir proteínas que ajudam na multiplicação do virus, como são várias enzimas diferentes, elas podem ser alvos para remédios para agente inibir a multiplicação do vírus.

Existe um termo que a gente usa que é chamado de período de incubação que vai entre a pessoa ganhar um determinado vírus e a doença se manifestar do ponto de vista clínico. Parece que existe uma avaliação bastante grande nesse caso. Depende, por exemplo a quantidade de vírus que a gente recebe a partir de outro doente, normal esse período é de quanto a seis dias, mas atualmente a gente sabe que tem pessoas que pode demorar um pouquinho mais, até 14 dias. É por isso que quando a gente deixa uma pessoa em quarentena, a gente deixa essa pessoa isolada durante 14 dias, porque esse é o período que as pessoas vão manifestar a doença, se ela não manifestar a doença durante esse período é porque ela não tem o coronavírus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

4 × 5 =