O Secretário de Saúde do Ex-prefeito Eduardo Paes do RIO está na mira do Ministério Público

O Secretário de Saúde do Ex-prefeito do Rio Eduardo Paes está na mira do Ministério Público, ele teria facilitado a vigência de contratos com empresas suspeitas de causar mais seis milhões de reais de prejuízo à Prefeitura. A denúncia refere-se a contratos de capacitação técnica de médicos, os convênios foram assinados em 2014 em 2015 durante a gestão de Eduardo Paes, entre a Secretaria Municipal de Saúde e a Fundação Bio-rio. Para os promotores foi montado o esquema que desviava dinheiro com uma cobrança velada de taxa de administração e despesas administrativas que não tinham relação com os convênios.

Esse mecanismo seria uma forma de apropriação ilícita de parte dos contratos, o Ministério Público entende que o ex-secretário de saúde de Eduardo Paes, estava ciente de tudo. A denúncia reforça que Daniel Soranz não assinou termos aditivos desses contratos, mas deixou de adotar medidas necessárias para cessar o vínculo com a fundação. Daniel Soranz será notificado a prestar esclarecimentos nesta ação que há por improbidade administrativa e Danos aos Cofres Públicos, ele deve ser ouvido por um Juiz e só após isso, a Justiça vai decidir se ele vai virar réu no processo. A denúncia aponta que os prejuízos ultrapassaram os seis milhões de reais.

Os promotores ainda questionam a participação de funcionários do Instituto IABAS que teriam representado a fundação Bio-rio nas negociações com a Prefeitura. O ex-presidente do IABAS Luiz Eduardo Cruz foi preso há dois anos acusado de desviar dinheiro em contratos firmados com a Prefeitura do Rio durante a gestão de Eduardo Paes. Este ano o Instituto está de novo no centro dos escândalos dos contratos fraudulentos assinados com o Governo do Estado do Rio para construção de Hospitais de Campanha durante a pandemia.

Daniel Soranz o Ex-cretario de Eduardo Paes divulgou nota em que disse que lamenta a utilização Política do Judiciário e estranho que a solicitação tenha surgido há quatro anos após os fatos, justamente próximo do período Eleitoral e reitera que todos os valores divergentes foram apontados pela Prefeitura na época e estão em discussão Judicial. O Prefeito Eduardo Paes não respondeu o nosso contato até o momento.