O STF deu 72 horas para o Palácio do Planalto entregar as gravações citadas por Sérgio Moro

O Supremo Tribunal Federal deu 72 horas para o Palácio do Planalto entregar as gravações de reuniões citadas pelo ex-ministro Sérgio Moro em depoimento à Polícia Federal. Essa decisão é do Ministro Celso de Mello ele é o responsável pelo inquérito no Supremo Tribunal Federal que investiga suposta intervenção política de Jair Bolsonaro na Polícia Federal. O inquérito é um desdobramento do depoimento de 10 páginas do ex-ministro Sérgio Moro feito no final de semana em Curitiba.

 O Ministro Celso de Mello a pedido do procurador-geral da República Augusto Aras, deu prazo de 72 horas para que sejam apresentadas as cópias na íntegra e sem edições dos vídeos e áudios das reuniões do Presidente com o ministro de estado no dia 22 de abril no Palácio do Planalto. Segundo Sérgio Moro nesse dia o Presidente fez cobranças explícitas para a troca de cargos na Polícia Federal.

Após o depoimento do ex-ministro Sérgio Moro, o Presidente da República Jair Bolsonaro falou sobre o assunto. O ministro da Cidadania Onix Lorenzoni disse que nunca viu nem ouviu interferência do Presidente Jair Bolsonaro. Entrevistado pela Rede Record, ele disse, “Fui o ministro encarregado pelo Presidente Bolsonaro para fazer a transição e eu assistia a conversa com todos os ministros, as reuniões na transição e depois na Casa Civil, o Presidente nunca interferiu, ao contrário é o presidente que deu autonomia e Independência, tanto que todas as equipes foram montadas de acordo com a escolha dos ministros. O Presidente fez poucas indicações no Governo e todas as que ele fez com muito êxito” disse ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

sete + 5 =