Polícia de São Paulo fecha fábrica clandestina que produzia peças falsificadas

Confecções clandestinas trabalham a todo vapor nesta quarentena em São Paulo, a polícia fechou uma fábrica que produzia milhares de peças falsificadas de marcas famosas. A fábrica clandestina funcionava no segundo andar de uma casa com máquinas de costura industrial, roupas que simulavam marcas famosas, eram produzidas em larga escala. Foram apreendidas mais de 3.000 peças falsas avaliadas em R$ 90.000,00.

As investigações apontam que os produtos serviriam para abastecer inicialmente o comércio do centro da capital paulista, em que grupos como esse, costumam vender para vários estados do país. A falsificação de marcas é o crime que mais cresce no Brasil e no ano passado, causou prejuízo de mais de 58 bilhões de reais. Segundo a Delegacia que investiga a pirataria em São Paulo, quem comandava a confecção era um Boliviano, que vai responder por crime contra o registro de marcas.

Ação do grupo teria se intensificado durante a pandemia, o Delegado que está há frente da apreensão disse que, “quando os policias chegaram eles estava trabalhando há torno vapor em turno de 8 a 10 pessoas. Essas pessoas estão se organizando e estão preparando o material para que quando essa quarentena terminar, eles coloque esse material no mercado e até recuperem esse tempo que para eles é um tempo perdido” disse o Delegado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

cinco × 4 =