Um Grupo no Rio Grande do Sul desenvolveu um projeto capaz de testar pacientes automaticamente

Um Grupo de estudantes do Rio Grande do Sul desenvolveu um projeto para que pacientes com suspeita de coronavírus faça teste sozinhos sem ajuda de profissionais de saúde. A ideia passa por avaliação de uma academia Americana e se for aprovada, um protótipo vai ser criado. Pedro tem 15 anos e é aluno do curso técnico de química do Instituto Federal Sul Rio-grandense em Pelotas no Sul do Estado. Com ajuda de quatro colegas projetou um robô para que pacientes com suspeita de coronavírus consigam realizar sozinhos testes rápidos da doença.

Primeiro o usuário preenche os dados de identificação na tela, depois retira o kit na própria máquina e coleta saliva com o cotonete disponibilizado e insere o material no equipamento. Ao finalizar o teste basta apertar um botão para que seja iniciado o processo de esterilização e em menos de 10 minutos o resultado é divulgado e enviado para o celular cadastrado pelo paciente. O projeto foi enviado para academia de ciências de Nova York nos Estados Unidos uma das mais renomadas instituições do gênero no mundo. A cada ano a academia americana lança desafios para jovens cientistas, este ano eles foram convocados a elaborar soluções para combater o coronavírus, a ideia ainda vai ser avaliada por pesquisadores Americanos.