Uma investigação de corrupção surge em meio ao a morte de Miguel Otávio

Uma investigação de corrupção surge em meio à repercussão pela morte de Miguel Otávio de cinco anos, filho da empregada do Prefeito de Tamandaré em Pernambuco, que caiu do nono andar do prédio do Prefeito. Hoje manifestantes fecharam as ruas em protesto. Na coroa de flores um pedido de Justiça, durante todo dia houve concentração em frente ao prédio onde Miguel caiu, pessoas que nem conhecia o menino, mas que se comoveram com a morte trágica do menino de cinco anos, entre os manifestantes o pai pedindo justiça.

A mãe do menino consta na folha de pagamento da Prefeitura de Tamandaré, além de outra pessoa contratada para prestar serviços particulares para a família, avó de Miguel também estava na lista de funcionários da Prefeitura até dezembro do ano passado, o Tribunal de Contas do Estado abriu uma auditoria para apurar a situação. De acordo com o portal da transparência do município a avó Marta estava lotada na Secretaria Municipal de Educação, ela e a mãe do menino foram contratadas Logo no início da gestão do Prefeito.

Mirtis pertence ao setor de manutenção das atividades de administração com cargo de gerente de divisão com salário líquido em Maio R$ 1.360,00. Nós tentamos falar com o Prefeito e a mulher dele, mas não conseguimos. De acordo com os moradores o casal deixou o prédio ontem dois dias depois da queda de Miguel, segundo ele os vizinhos estão abalados. À tarde manifestante pediu a prisão da patroa Sarí eles fecharam as ruas e se deitaram no chão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5 × 5 =